Aviso aos navegantes:

"Aqui a casa é ventilada, o coração é quente e as vontades têm a temperatura exata para os sonhos."
Fique à vontade, leve um pouco de mim, deixe um pouco de você. Comente!

Eu... sem vestígios de mim em mim! Renovada! (N)


(...) Investir no sossego do nosso próprio coração é saber que aquilo que está doendo deverá ser extirpado e não manter apego ao sofrimento, por mais que o uso do bisturi cause quase a mesma dor. 
É proporcionar-se bons momentos divorciando-se de tantos lamentos. 
É não adiar sofrimento postergando decisões tão necessárias. 
É não se acomodar com a falta de excitação pelas coisas, pessoas, trabalho. 
É saber-se merecedor de experienciar um amor inteiro, intenso, extenso, imenso, verdadeiro... Recíproco! 
É aumentar, um pouquinho a cada dia, o seu tamanho. 
É ter a certeza e a confiança de que as coisas têm um encaixe, mas que é preciso deixar ir, ou ir ao encontro, ou conformar-se com o desencontro, ou esquecer, ou lembrar-se de outras coisas, ou relacionar-se de outra forma. 
Investe no sossego do próprio coração quem não rumina o que machuca, quem não fica descascando a ferida impedindo que a mesma cicatrize, quem não se disp
onibiliza de maneira subserviente e em tempo integral a ponto de ser desvalorizado ou descartável, quem não aceita menos do que merece: coisas pela metade. 
Investe no sossego do próprio coração quem sofre, grita, chora, mas cresce!
(...)
Investe no sossego do próprio coração quem não se contenta com pouco.

(Marla de Queiroz)

**Esta hoje sou EU integralmente!



Nenhum comentário:

Postar um comentário